terça-feira, maio 01, 2007

Como você diz “Google”?

Acabo de assistir à reapresentação do programa “Happy Hour”, capitaneado pela Astrid, e fiquei agradavelmente surpreso em ver todos os participantes pronunciarem corretamente a palavra “Google”. Com um pouco de sorte, a moda pegará e vamos deixar de ver gente irritante falando coisas como “Gâgou”, “Gágou”, “Gôgol”’ ou até mesmo “Gugle”, com o encontro consonantal pronunciado como em “gleba”. Não sou exatamente o maior defensor do purismo lingüístico, mas parto do princípio de que, ao defender minha língua matter de maneira cuidadosa, não posso cometer a falta de elegância de estragar a língua dos outros (com perdão do trocadilho).

Mesmo sendo um neologismo, “Google” é uma das palavras mais simples da língua inglesa e se originou de “googol”, termo que significa o número 1 seguido de 100 zeros (ou 10100, em potência de dez). “Googol", por sua vez, foi criado do nada, em 1920, por Milton Sirotta, sobrinho de nove anos do matemático norte-americano Edward Kasner, que estava escrevendo o livro “Matemática e Imaginação”.

Os fãs do astrônomo Carl Sagan sabem muito bem como pronunciar “googol”, pois esse número apareceu em um dos episódios da série “Cosmos: a Personal Voyage”, de 1980. No capítulo intitulado "A vida das estrelas" (ver abaixo), Sagan precisa dar uma idéia da dimensão do universo e aproveita para falar sobre números muito grandes, como "Googol" e "Googolplexo", este último sendo o número 1 seguido de um Googol de zeros. Um número fantasticamente grande, por certo, mas, como nos alerta Sagan, tão perto do infinito quanto o número 1. O vídeo disponibilizado abaixo é longo, tendo quase uma hora de duração, mas o comentário sobre o Googol é feito aos 7 minutos e 57 segundos (*). A pronúncia de Sagan é clara: "googol" é pronunciado como "gúgol", sem exagerar no "éle" final, mas sem pronunciá-lo como fazia Getúlio Vargas com a palavra "Brasil" e tampouco pronunciá-lo como o "ú" final usado pela maioria dos brasileiros em substituição ao "éle" final.


(Infelizmente o vídeo foi removido após a conclusão deste texto)

Obviamente, “googol” e “Google” não são a mesma coisa. O primeiro é uma maneira sintética de escrever um número enorme. O segundo é o nome de uma empresa e de um aplicativo da web. Diz a lenda que “Google” teria surgido a partir de “Googol” por causa de um erro de digitação. Contudo, agora “Google” faz parte de alguns dicionários, inclusive do famoso Merriam-Webster, que oficializou o vocábulo como verbo, de forma que é possível verificarmos a pronúncia. A versão online desse dicionário pode ser encontrada em http://www.m-w.com/dictionary e o vocábulo em questão pode ser acessado diretamente em http://www.m-w.com/dictionary/google. Um leve clique sobre o pequeno alto-falante revela o mistério da pronúncia.

Entretanto, “Google” não é a única palavra inglesa a quebrar a língua de muitos brasileiros (inclusive de muitos profissionais de TI, que deveriam dominar o inglês como os artistas de outras épocas dominavam o francês). Há inúmeras outras, como “country” e “county”, palavras muito semelhantes entre si, mas cujas pronúncias diferentes apenas revelam algumas das muitas esquisitices da língua inglesa. Mas a palavra inglesa mais maltratada pelos brasileiros deve ser “Yorkshire”, nome de um dos mais famosos distritos históricos da Inglaterra e palavra incorretamente pronunciada por 99,78% dos criadores brasileiros de cães. Se você é um desses, sugiro acessar o endereço http://www.thefreedictionary.com/yorkshire e clicar sobre o pequeno alto-falante. Garanto que você ficará surpreso.

____________________

(*) Agradeço ao Marcos Paulo Serafim, da CienciaList, por ter me indicado o link.

5 comentários:

  1. Bem lembrado, Álvaro! Outro dia mesmo tive uma discussão com a minha namorada, que não queria acreditar em mim quando eu disse que o brasileiro é que inventou essa pronúncia do "yorkshire". Quanto ao Google, acho que dei mais sorte. Minha filha, antes de aprender a falar, já falava o Google direitinho.
    Abraços,
    Ronaldo

    ResponderExcluir
  2. É verdade! As gerações mais novas já vão crescer sabendo como pronunciar "Google", mas acho que "Yorkshire" vai demorar um pouco mais.

    ResponderExcluir
  3. Ivan Moraes1:41 PM

    "a palavra inglesa mais maltratada pelos brasileiros deve ser “Yorkshire”": "avaih" em vez de rauai eh esquizitissimo!

    (e os hispanos com seu "me ame" em vez de maiami tambem doem de feios(:-))

    ResponderExcluir
  4. Seus artigos estão ótimos! Agora, quanto à palavra "Yorkshire", sempre pensei que se dizia "cháire", e não "chire". O filme "Senhor dos Anéis" usa a pronúncia "cháire". Não seria o caso de ser uma palavra com múltiplas pronúncias, como as da famosa música "tomêito/tomáto"-"potêito/potáto"?

    Obrigado pela atenção, e um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Caro Ivan,

    Obrigado pelos seus comentários. A língua inglesa tem dessas coisas. Quando isolada ou precedida de uma palavra de origem escocesa, "shire" tem realmente a pronúncia que você aponta. Mas, quando precedida de uma palavra de origem inglesa ou galesa, a pronúncia é "chier", não "chaire". Confira as diferenças em http://www.thefreedictionary.com/shire e http://www.thefreedictionary.com/yorkshire

    [ ]s

    Alvaro Augusto

    ResponderExcluir