segunda-feira, setembro 02, 2019

Yesterday, o filme

"Yesterday" (2019) é um daqueles filmes de realidade alternativa nos quais um mundo diferente é produzido por seres extraterrestres, por um "evento quântico" ou simplesmente por algo que não é explicado. Alguns críticos podem dizer que esse enredo não é nem um pouco original, mas, quando se trata dos Beatles, ou da ausência deles, esse deslize é facilmente perdoado.

Na realidade alternativa de "Yesterday", George Harrison, o mais novo dos Beatles, teria 76 anos e Ringo Starr, o mais velho, teria 79. Talvez eles até existam individualmente no filme, mas os Beatles nunca existiram, a não ser para Jack Malik, um cantor de boteco que desiste de sua carreira pouco antes de um apagão mundial, durante o qual ele é atropelado por um ônibus. Ao acordar em uma cama de hospital, ele descobre que, felizmente,  sua bicicleta ficou muito pior do que ele, apesar da falta de dois de seus dentes.

Depois de se recuperar, a primeira canção que ele toca a três de seus amigos é Yesterday, aproveitando para estrear o violão que sua "quase namorada" e empresária amadora lhe dá de presente. Todos ficam emocionados, mas nenhum deles conhece a canção.

Ao voltar para casa, Jack faz algumas pesquisas e descobre que os Beatles não existem nesse mundo (e nem o Oasis, por exemplo), embora os Stones existam. O filme também faz outras brincadeiras com coisas que teriam deixado de existir em um mundo sem os Beatles, algumas delas que muito provavelmente continuariam existindo e foram apenas um exagero dos roteiristas, mas das quais ninguém sentiria falta, como os cigarros, por exemplo.

Daí em diante o filme é uma espécie de montanha russa, na qual Jack se apropria das canções dos Beatles para alcançar sucesso em nível mundial e começa a se apavorar com isso. E, da mesma forma que o final de uma montanha russa é quase sempre previsível, o espectador também tem quase certeza de que os roteiristas usarão um final ao estilo “Deus ex machina” tão ao gosto de Hollywood: ou o personagem principal acordará e descobrirá que foi tudo um sonho ou então sofrerá outro acidente e tudo voltará ao normal, com ele e sua empresária mais amadurecidos e finalmente apaixonados. Felizmente nenhum desses finais é usado, o que fez os críticos do Rotten Tomatoes, por exemplo, concluírem que:

"Yesterday pode ficar aquém do esperado, mas o resultado final ainda é uma fantasia docemente encantadora com uma intrigante – embora um pouco subexplorada – premissa.”

Na minha opinião essa fantasia é tão doce que, ao menos durante a seção em que eu fui, era possível ouvir choros aqui e lá. Esses seres humanos são realmente muito estranhos.

E é isso que torna o filme imperdível.

Cuidado, spoiler abaixo!

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Um crítico mais duro poderia dizer que um filme que se encerra com o personagem principal e sua amada vivendo uma vida de Desmond e Molly, embora com ele provavelmente falido, não é nada mais do que uma comédia romântica. Mas um filme no qual o único dos Beatles a aparecer é um John Lennon aos 78 anos, vivendo uma pacata vida de artista plástico, é certamente imperdível!