terça-feira, abril 19, 2016

Sugestões aos hoteleiros do Brasil

Depois de ter perambulado por alguns hoteis desse País, com meu laptop a tiracolo, sempre em busca de uma conexão sem fio para responder e-mails de última hora ou simplesmente postar textos no meu blog ou no facebook, reuni um conjunto de sugestões que podem ser úteis aos donos e administradores de hoteis.

1. Se possível, deve haver rede sem fio em todos os quartos. Se não for possível, deve haver ao menos uma rede a cabo (e, de preferência, o cabo deve estar disponível, pois nesses dias de redes sem fio ninguém mais anda por aí com cabos de rede na mala). Se a única conexão possível for discada, melhor nem oferecer nada.

2. O cofre do quarto deve ser grande o suficiente para conter um laptop. E, por favor, o cofre deve ser eletrônico; nada daqueles cofres da época do êpa, trancados apenas com uma chave e cujo miolo deve ser "solicitado à recepção".

3. Deve haver uma tomada de energia perto da cama ou da escrivaninha. Caso contrário, deve haver ao menos uma extensão, mesmo que esta tenha de ser "solicitada à recepção".

4. Se o serviço de quarto funcionar somente até as 22h (ou coisa parecida), esteja preparado para receber pedidos até as 22h e não apenas para entregar pedidos até esse horário. Isso significa que a cozinha deverá funcionar até as 22h30 (ou coisa parecida).

5. É absolutamente imprescindível que o ar condicionado funcione e que possibilite qualquer regulagem entre as temperaturas "congelar" e "cozinhar". Desnecessário dizer, mas vou dizer assim mesmo: o ar condicionado deve ser silencioso.

6. Um detalhe que tem sido impressionantemente negligenciado por todos os hoteis desse enssolarado País é que a porta do box do banheiro deve abrir de dentro para fora, não de fora para dentro.



domingo, janeiro 17, 2016

Benjamin Franklin

Há 310 anos nascia Benjamin Franklin, um dos Pais Fundadores dos EUA, reconhecido autor, editor, cientista, inventor, ativista civil, estadista e diplomata. Dentre suas invenções estão o para-raios, os óculos bifocais, o catéter urinário e o forno de Franklin. Dentre suas inovações estão o Horário de Verão, concebido à época para se economizar velas (curiosamente, seu pai era comerciante de velas e cera, e provavelmente, não estava interessado nesse tipo de economia).

Franklin fundou, junto com outros maçons, a primeira biblioteca pública da Filadélfia, a qual se expandiu para outras cidades e estados norte-americanos, auxiliando o processo de independência norte-americana. Franklin fundou também a Universidade da Pensilvânia e a Sociedade Filosófica Americana. 

Na área da eletricidade, Franklin foi o primeiro cientista a usar os termos “positiva” e “negativa” para se referir às cargas elétricas e o primeiro a descobrir o princípio da conservação das cargas elétricas. Um experimento proposto por Franklin, e bastante conhecido, é aquele em que ele teria usado uma pipa e uma chave metálica para provar que os raios de tempestade eram eletricidade. É possível que Franklin tenha de fato realizado este perigoso experimento, mas, em seus escritos, ele indica que estava isolado da terra e a par dos perigos de eletrocussão. 

Benjamin Franklin faleceu quase 40 anos depois de seus experimentos com eletricidade, e depois de vários anos servindo como diplomata na Inglaterra e estabelecendo relações entre os EUA e vários países europeus. Aproximadamente 20 mil pessoas estiveram presentes em seu funeral.

sábado, janeiro 02, 2016

Isaac Asimov

Pouco antes de entrar no segundo grau (hoje "ensino médio") eu estava muito interessado em robôs. O problema é que não existia literatura sobre isso no Brasil da época e os livros importados eram absurdamente caros e difíceis de encontrar. Então, achei um livro chamado "Eu Robô", de Isaac Asimov, em uma daquelas estantes giratórias de supermercado. Li o livro inteiro, mas não encontrei indicação alguma de como construir um robô. Por outro lado, tornei-me fã de Asimov, escritor americano nascido em 2 de janeiro de 1920. 

Asimov foi um autor muito prolífico, tendo escrito mais de 500 livros em 9 das 10 principais categorias da Classificação Decimal de Dewey. No campo da ficção científica Asimov seria atualmente considerado um autor bastante sexista: seus personagens eram geralmente homens (além de não muito bem construídos) e as poucas mulheres eram frias e pareciam não ter alma, como a "robopsicóloga" Susan Calvin. Contudo, no campo da divulgação científica, Asimov foi o rei: foram mais de 270 livros sobre matemática, astronomia, química, biologia, física, história e até mesmo em áreas não científicas como religião e Shakespeare. 

Asimov tinha um doutorado em bioquímica pela Universidade de Columbia e, ao longo de sua vida, recebeu mais de 12 prêmios literários e 14 doutorados honorários de diversas universidades. Desnecessário dizer, mas todos esses prêmios e doutorados foram mais do que merecidos, ao contrário do que acontece de vez em quando.