segunda-feira, agosto 06, 2018

Observações sobre a entrevista de Jair Bolsonaro na GloboNews

Seguem-se algumas observações minhas, já publicadas na minha página do Facebook, sobre a entrevista de Bolsonaro na GloboNews. Algumas foram levemente retocadas.

1. Teria sido mais elegante se o candidato tivesse cumprimentado os jornalistas e o público antes de começar a falar. Mas tudo bem.

2. "Eu estou cumprindo uma missão de Deus (porque sou cristão)". Ui, essa doeu! Pior que isso só o Lula, que se compara a Jesus Cristo.

3. "Não tenho obsessão pelo poder." (??) Ué, então por que não se candidata somente a síndico?

4. "Eu sei fazer derivada, sei fazer integral, sei calcular um tiro de barragem..." hehe, dessa parte eu gostei. Resta saber como isso vai ajudar na área de macroeconomia.

5. Um entrevistador pergunta: "e se acontecer alguma coisa com o Paulo Guedes (provável Ministro da Fazenda no caso da eleição de Bolsonaro), se ele ficar doente...?" Cá entre nós, caro entrevistador, esse pergunta foi ridícula!

6. "O que falta para investirmos em ciência e tecnologia? Devemos investir em tecnologia e pesquisa, não só em commodities", diz ele. Gostei.

7. "A China não está comprando 'no' Brasil. Ela está comprando 'o' Brasil. Algum tipo de protecionismo será necessário". Bem, a China está comprando empresas de energia elétrica, por exemplo, apenas por que o Brasil não têm mais dinheiro para isso. Se não deixarmos a China comprar as empresas, uma vez encerradas as concessões, o governo teria que comprá-las com recursos do Tesouro, que poderiam (deveriam) ser usados para outros fins.

8. Ele diz que a Zona Franca de Manaus, aquela aberração criada por um espírito maligno, será mantida. Estranho, ele se diz liberal mas defende subsídios?

9. "Me apresente algumas grandes obras do governo militar de lá para cá!" Êpa, candidato! Tivemos, por exemplo, obras de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica capazes de suprir o enorme crescimento da demanda desde então. Outros exemplos existem aos montes.

10. "Se não tiver outro jeito para a Petrobrás a solução é privatizar". Quem sabe seja uma boa.

11. Banco do Brasil, Caixa Econômica e Correios permanecerão estatais. Também pode ser uma boa estratégia, especialmente porque a privatização desses dois bancos mergulharia o país em uma sequência de greves com resultados piores do que os da greve dos caminhoneiros.

12. O senhor acha que feminicídio é um "mimimi"? Ele é muito contraditório nessa questão. Confunde assassinato de mulheres (por um bandido, por exemplo) com feminicídio, que é o "assassinato de mulheres por homens apenas pelo fato de serem mulheres".

13. "Eu nunca fui homofóbico. Ué, o que eu tô fazendo aqui!" (???) Não entendi. Isso foi uma piada?

14. "Eu não sou homofóbico", diz ele outra vez. Mas há uma entrevista de Bolsonaro com Stephen Fry onde Bolsonaro deixa isso muito claro: https://www.youtube.com/watch?v=o3ZBeX9uC8s . Há vários outros vídeos sobre isso.

15. Perguntado sobre a imoralidade ou não do auxílio moradia, quando o político já tem moradia, Bolsonaro reverte a perguta ao entrevistador: "Me diga uma coisa, vocês aqui na Globo recebem como PF ou PJ? Isso também não é imoral?" Uma típica falácia da inversão dos fatos. Aqui fica claro que ele não deixará que os políticos abram mão tão facilmente de direitos já estabelecidos.

16. Cá entre nós, os jornalistas deveriam saber que Bolsonaro havia entrado na sala com a questão do Roberto Marinho na manga.

17. Ele foge da questão da tortura. Primeiro diz que está na lei que ela é proibida. Depois diz que em alguns casos seria a última forma de extrair uma confissão de alguém (de um sequestrador, por exemplo).

18. Educação: "O que nós estamos formando hoje em dia são militantes de esquerda." Êpa, mas que bobagem é essa? Ele está falando da área de humanas? E o resto? E como o Brasil poderá viver "sem viés ideológico" se a esquerda não existir?

19. No momento ele sairia do Acordo de Paris (redução das emissões de gases de efeito estufa). Será que há alguma influência do Trump aqui?

20. Manteria o Bolsa Família, com responsabilidades.

21. Ele insiste que o pensamento de que as mulheres devem ganhar menos do que os homens não é dele. São os patrões quem pensam assim. Tudo bem, isso é verdade, mas se elegermos para Presidente um sujeito que admite de antemão que não fará nada nem mesmo para tentar mudar parcialmente a realidade, é melhor eleger o Tiririca.

22. Ele gosta do Trump, pois Trump está fazendo a "América grande" (apoiar o Trump já é motivo suficiente para que eu não vote no Bolsonaro).

23. Porte de armas: ele continua insistindo na falácia da comparação entre Brasil e EUA. Por que ele e seus correligionários não fazem uma comparação, por exemplo, entre Brasil e Japão?

24. Ele insiste em querer um Brasil sem viés ideológico (a não ser o viés dele, é claro).

25. A declaração do Grupo Globo ao final da entrevista, transmitido por Miriam Leitão com um ponto eletrônico no ouvido, foi realmente deplorável. Teria sido mais inteligente não ter tentado apagar o fogo com gasolina.